quinta-feira, 21 de setembro de 2017

"O feiticeiro de Oz", texto de L. Frank Baum e ilustrações de Lisbeth Zwerger

"O feiticeiro de Oz"
Texto de L. Frank Baum e ilustrações de Lisbeth Zwerger
Editado pela Ambar em 2002

INTRODUÇÃO

O folclore, as lendas, os mitos e os contos de fadas acompanharam a infância através dos tempos, porque todas as crianças saudáveis adoram histórias fantásticas, maravilhosas e manifestamente irreais. As fadas aladas dos irmãos Grimm e de Andersen deram mais alegria aos corações das crianças do que todas as outras criações humanas.

Contudo, os contos de fadas, úteis durante tantas gerações, são já "clássicos" numa biblioteca infantil; chegou a hora de uma série de novos "contos maravilhosos" nos quais o génio estereotipado, o anão e as fadas são eliminados, juntamente com todos os horríveis e arrepiantes episódios, inventados pelos autores para salientar uma moralidade assustadora para cada conto.


A educação moderna inclui a moralidade; por isso, a criança moderna só procura entretenimento e dispensa alegremente todos os episódios desagradáveis.

Tendo isto em mente, a história " O Feiticeiro de Oz" foi escrita com o único propósito de dar prazer à criança de hoje. Tem aspirações a ser um conto de fadas moderno, em que o maravilhoso permanece e o sofrimento e os pesadelos são deixados de fora.

L. FRANK BAUM
Chicago, Abril, 1900

Fonte: interior do livro



Quando Frank L. Baum escreveu O Feiticeiro de OZ, o seu objectivo era criar uma fantasia moderna que oferecesse o mesmo deslumbramento e alegria que as histórias tradicionais e os contos de fadas ofereceram ao longo dos tempos. Através do livro e do filme, a viagem de Dorothy pela estrada dos ladrilhos amarelos até à Cidade das Esmeraldas entrou no nosso folclore e trouxe alegria a muitas gerações de crianças.
Esta edição, belamente ilustrada, permite um olhar completamente novo a esta história tão amada.



"As ilustrações de Lisbeth Zwerger darão à nova geração de leitores uma percepção completamente diferente do Feiticeiro Maravilhoso e mesmo nós, que crescemos com Judy Garland, aceitaremos esta versão como definitiva."

Suplemento Educativo do Times
Fonte: contracapa do livro


Obra disponível na rede de Bibliotecas do concelho de Arganil
Boas Leituras!

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

"A casa", um livro de J. Patrick Lewis e Roberto Innocenti

"A Casa"
Texto de J. Patrick Lewis e ilustrações de Roberto Innocenti
Editado pela Kalandraka em 2010

“Na padieira sobre a minha porta pode ler-se 1656, um ano de peste, o ano da minha construção. Fizeram-me em pedra e madeira mas, com o correr dos anos, as minhas janelas começaram a ver, e as minhas cornijas a ouvir. Vi famílias a crescer e árvores a cair. Ouvi risos e pistolas, conheci tempestades, martelos e serras e, por fim, o abandono. Depois, um dia, umas crianças aventuraram-se sob a minha sombra, à procura de cogumelos e castanhas, e eu ganhei uma nova vida no dealbar da idade moderna. Esta é a minha história do século vinte, contada do cimo do velho monte.

A casa, 2010”



Fonte: interior do livro


A casa ergue-se numa colina, nas proximidades de uma aldeia. Sobreviveu a pragas, foi habitada por várias gerações de uma família e, pedra sobre pedra, assistiu ao passar dos anos, das décadas e dos séculos. Tornou-se numa lenda, mas foi votada ao abandono, até que, no século XX, voltou a renascer. A casa das vinte mil histórias foi testemunha de mil e uma vicissitudes: felicidade e desgraça, celebrações e colheitas, guerra e paz... 

Esta é a sua história, de 1900 em diante, narrada por Patrick Lewis em pinceladas poéticas de grande valor literário. As ilustrações hiper-realistas do premiado artista Roberto Innocenti fazem-nos viajar pelo tempo: desde as mudanças sazonais até à transformação da paisagem, passando pelos velhos costumes que vão mudando com o avanço da tecnologia.

Fonte: Wook


Livro recomendado pelo Plano Nacional de Leitura para apoio a projetos relacionados com as artes nos 3º, 4º, 5º e 6º anos de escolaridade.


Obra disponível na rede de Bibliotecas do concelho de Arganil
Boas leituras!

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

"Os Pais não sabem mas eu explico" de Maria João Lopes

"Os pais não sabem mas eu explico"
Texto de Maria joão Lopes e ilustrações de Teresa Cortez.
Editado pela Máquina de Voar em 2016

"Porque é que as estrelas não caem do céu? 
Porque é que não podemos estar todos os dias contentes? 
Porque é que o meu coração dispara quando vejo a Maria? 
Tinha muitas interrogações na minha cabeça e, por isso, pedi ajuda ao pai e à mãe, mas não fiquei satisfeito com as explicações que me deram. Decidi, então, que teria de investigar sozinho se quisesse perceber o mundo. Mas o meu método é muito difícil. Eu não sou como a professora que só faz questões no teste para as quais já sabe a solução. 
Eu só faço perguntas quando não sei as respostas."
Fonte: contracapa do livro




"Neste livro, o protagonista é um desses miúdos, sempre com um ponto de interrogação à espreita. Não entende o céu (afinal, como é que as estrelas se seguram lá em cima?) nem o coração (com os seus disparos frente à Maria). A ajuda que pede aos pais para esclarecer estas e outras dúvidas não o satisfazem. Decide então investigar por si só. "Não foi fácil, mas, ao fim de algum tempo, consegui perceber muitas coisas que não percebia."

Uma das investigações decorreu da comparação entre o pequeno e o avô: "A cara com rugas, as costas curvadas, as mãos com pintas, a careca aonde me apetece fazer desenhos com marcadores e lápis de cera. A minha cara não tem rugas, não tenho as costas curvadas e até gostava de ter pintas nas mãos e desenhos na careca, mas não tenho." Depois de perguntar aos pais a razão destas diferenças, estes "apenas" explicaram que o avô era mais velho do que ele. Mas o rapaz chegaria a uma conclusão muito mais satisfatória, que lhe ocorreu enquanto o desenhava: 
"– O avô tem um relógio no pulso, e eu não. O tempo passa por ele, e por mim não."


Um livro poético na escrita e na ilustração em que as duas linguagens denunciam, a seu tempo, quer a confusão das dúvidas quer a clareza possível das conclusões. Com talento. A ilustradora usa várias técnicas e escalas para representar o rapaz e os contextos, impelindo-nos a virar a página com vontade de descobrir a solução gráfica que escolheu para as questões que vão sendo formuladas pelo protagonista."

Por Rita Pimenta em http://lazer.publico.pt

Obra disponível na rede de Bibliotecas do concelho de Arganil
Boas leituras!

sexta-feira, 8 de setembro de 2017

"Travalengas a dobrar", com texto de José Dias Pires

"Travalengas a dobrar"
Texto de José Dias Pires e ilustrações de Yara Kono
Editado pela Booksmile em 2016


Não é preciso saber
Ler a correr
E escrever sem errar.
Mas é preciso contar
Que, para poderes viajar
Com as letras engasgadas
E as palavras engraçadas,

É bom gostar de cantar,
E é melhor saber sonhar.
Só assim podes sentir
Como é tão bom sorrir,

No comboio das brincadeiras,
Com as palavras viageiras.
Queres vir experimentar?
Então está bem,
podes entrar!



Fonte: interior do livro

Letras loucas e engraçadas, palavras tontas e engasgadas. Numa viagem sempre a rimar, sobe a bordo... vai começar!

Livro disponível na rede de Bibliotecas do concelho de Arganil
Boas Leituras!

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Literacia Digital

As novas tecnologias da informação fazem parte do nosso quotidiano e assumem um papel relevante na maior facilidade e rapidez de acesso à informação. Neste workshop os participantes aprenderam a conhecer melhor vários programas informáticos, de forma divertida. No final, receberam um Diploma de Competências Básicas em Tecnologias da Informação. Estas acções têm protocolo com a Fundação para a Ciência e Tecnologia.
Momentos para recordar:







Alguns dos participantes que receberam Diplomas:




Boas leituras!

terça-feira, 5 de setembro de 2017

"O rapaz do avião vermelho", um livro de Raffaello Bergonse

"O rapaz do avião vermelho"
Texto e ilustração de Raffaello Bergonse
Editado pela Everest em 2008

"Quero ver os sítios maravilhosos da terra de que o papá me fala quando olhamos para o meu mapa. Ele diz sempre que vivemos num planeta cheio de sítios maravilhosos".

Esta é a história de um rapaz que sonhava explorar o mundo - um sonho partilhado por muitas crianças, adolescentes e adultos. Acompanha-o na sua viagem pelos céus e descobre com ele os sítios mais incríveis do mundo.
Fonte: contracapa do livro




Uma viagem começa numa carta, e será que chega a acontecer? Um rapaz escreve à mãe, a contar que vai partir no seu avião vermelho para percorrer o mundo ao sabor do vento e passar pelos desertos que parecem não ter fim, sobrevoar praias de água transparente, florestas húmidas… mas ao chegar ao fim da carta, o seu destino muda. Para onde terá ido este rapaz viajante?

Fonte: www.catalivros.org 


Colecção de álbuns ilustrados pelos mais famosos ilustradores de literatura infantil actual e escritos por autores que abordam temas com os quais os pequenos leitores se identificam facilmente, uma vez que narram aventuras de protagonistas da sua idade. Pelas suas características, estes livros são idóneos para serem utilizados em programas de animação da leitura.


Livro recomendado pelo Plano Nacional de Leitura para o 5º ano de escolaridade,
destinado a leitura autónoma.

Obra disponível na rede de Bibliotecas do concelho de Arganil
Boas Leituras!

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

O estranhão - Socorro, a minha mãe está variada! de Álvaro Magalhães

O Estranhão: Socorro, a minha mãe está avariada!
Texto de Álvaro Magalhães com ilustrações de Carlos J. Campos
Editado pela Porto Editora em 2016

Fred, o Estranhão, está de volta com novas e inesperadas peripécias. Desta vez, enfrenta o pior pesadelo de qualquer filho: uma avaria da mãe; ajuda a avó a decifrar o Grande Mistério (da vida depois da morte); foge para uma ilha deserta sem sair do quintal; e envolve-se num caso policial - o estranho caso da orelha cortada. E ele que só queria ter uma vida normal, sem sobressaltos...
Mas isso não é tarefa fácil para um Estranhão. Pois não?        

   
IMAGINAÇÃO SEM LIMITES E HUMOR, MUITO HUMOR INTELIGENTE, NO LIVRO MAIS ESTRANHO E DIVERTIDO DO ANO.
  
Fonte: contracapa do livro

Livro recomendado pelo Plano Nacional de Leitura para o 6º ano de escolaridade, 
destinado a leitura autónoma.  

Obra disponível na rede de Bibliotecas do concelho de Arganil
Boas Leituras!